mistérios tem fim, sempre tem.

Por causa do frio de julho, ela usou um vestido com mangas compridas, charmoso, com um decote por ser bem "avantajada" procurou não ser chamativa, mas jamais ficar apagada, não esperava encontrar nenhum principe encantado nessa festa, apenas, agradar a sua amiga, dizendo apenas : eu falei que vinha. Ficou calada durante toda a noite, não se interessou por ninguém, talvez por que não procurasse alguém pra se interessar, então ficou a noite inteira esperando o momento de dançar, mas ao invés de pegar alguém desconhecido, como sempre fez, pegou o seu melhor amigo pra dançar, mas ela era fogo, queria dançar cada vez mais, e seu parceiro de dança, cançou, como a maioria das pessoas no salão, estava com sua prima e fiel escudeira, que avistou os seus amigos, e como não tinha o que fazer, foi conversar junto, afinal nem tinha pra aonde ir, porém agora ela não queria ir, tarde demais, avistou sua presa da noite.
Não era como os outros, afinal, garotos lindos e bombados não fazia o seu tipo, ela tem um certo tipo de seleção que é bem misteriosa, até pra ela. As horas passavam, ela tinha quase certesa de que não ia conseguir nada mais que uma troca de nomes, triste intuição defeituosa, triste inquietante vontade de dançar, até que o convite mais esperado por ela é emitido : quer tentar dançar comigo essa ? Acho que o sim dela foi o suficiente pra desencadear os acontecimentos da noite inteira, a dança, as conversas, o jeito ciumento que os outros olhavam, é enfim tudo ficou do jeito dela, tudo aconteçeu do jeito dela.
Acordou entorpecida, a dor de cabeça era tamanha, estava toda dolorida, como se tivesse levado uma surra, tentava não esqueçer do que fez na madruagda passada, não poderia, afinal o perfume dele já estava nela. Ela tinha apenas duas informações sobre o rapaz, o nome e que estudava num colégio de ensino fundamental, o resto era misterio, e pensava que ficaria nisso, e que aquilo não fosse sair daquilo. Na hora do almoço, foi direto ao computador, que é onde tudo toma rumo na vida dela, o convite inesperado, a pergunta inesperada, tudo bem claro o bastante pra entender que havia sido correspondida, era o mais misteriosa possível, nunca demonstrou afeto, nem apego, só que agora era diferente, porque diabos se entregou e confiou facilmente ? Por que não ficou fria, calada, mandona como das outras vezes ? Sera que ela finalmente mudou ? Não se sabe, afinal, ela é um misterio.


"é tarde demais para a garota mistério mais uma vez, você se apaixonou outra vez, e mais uma vez ficou com o perfume dele em seu cachecol, e mais uma noite vai sonhar acordada. O despertador soou como um pesadelo pra ela naquela manhã de sexta, queria ficar mais um pouco com aquela cena na cabeça, lembrando cada detalhe, e finalmente conheçera aquele por quem havia se apaixonado, encontrou mais coisas em comum do que em seu próprio reflexo, mas ficou quieta, ficou com medo do fracasso"

Nenhum comentário:

Postar um comentário